Em Audiência Pública, Felipe reitera sua luta contra abusos cometidos pela Energisa

Publicado em: 21/02/2019 - 12:12

O deputado estadual Felipe Orro engrossou o tom de
seu discurso contra as altas na cobrança da taxa de energia praticada pela
concessionária distribuidora do serviço no Estado, a Energisa, durante
Audiência Pública realizada pela Câmara Municipal de Campo Grande, na tarde
desta quarta-feira (20).


Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos do
Consumidor na Assembleia Legislativa, Felipe Orro lembrou na Câmara que está à
frente nesta luta desde o mandato anterior, buscando soluções para a questão
dos problemas observados pelos consumidores do Estado relacionados aos serviços
prestados pela Energisa, enfatizando a falta de atendimento na área rural.


“Eles [Energisa] acabaram com o plantão na área
rural, recebemos denúncias de vários produtores que ficaram sem o atendimento,
e consequentemente, sem energia por quase uma semana. Isso é um absurdo.
Ninguém pode ficar sem energia, ainda mais na área rural.  Não estão
respeitando os direitos dos consumidores”, defende o deputado.


Em outra ação, Felipe Orro entrou com um
requerimento junto ao Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e
Tecnologia) para a realização da aferição dos relógios de energia elétrica e
assim, ter um indicativo de que algo de errado está acontecendo na cobrança da
tarifa elétrica, “o preço não pode ser pago pelo consumidor”.


No começo da semana, Felipe encaminhou ao
diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone
da Nóbrega, requerimento solicitando informações sobre os índices de reajustes
nas contas de luz dos últimos cinco anos, assim como os parâmetros de preços
que a Energisa comete em Mato Grosso do Sul.


Em resposta, André Pepitone confirmou sua vinda a
Campo Grande no próximo dia 14 de março para prestar todas as explicações e
esclarecimentos quanto a problemática no Estado.

Felipe reiterou que não houve reajuste significante
da tarifa que explicasse esse aumento considerado “tão absurdo” nas contas dos
consumidores.

“Por isso solicitei um prazo para que a Aneel nos
informe dados dos reajustes praticados pela Energisa no Estado. Precisamos
chegar ao nosso intento que é um bom entendimento e uma tarifa de energia mais
justa para o povo sul-mato-grossense”, disse.

O parlamentar abriu a discussão na primeira sessão
do ano realizada na Assembleia Legislativa, sendo o primeiro deputado a usar da
tribuna na Casa de Leis, para explanar a revolta dos consumidores referente às
altas na energia elétrica e disponibilizou seu gabinete para a coleta de
assinaturas ao abaixo assinado do Movimento Popular Energia Cara Não.

Comentários do Facebook