Felipe Orro rende homenagem a 320 trabalhadores com Moção de Congratulação e certificado

Publicado em: 28/04/2021 - 18:18

Há pouco mais de um ano a pandemia da covid-19 impôs ao mundo duras restrições, entre elas o distanciamento social. Como consequência da crise sanitária e pelo segundo ano consecutivo, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul não poderá realizar a solenidade alusiva ao Dia do Trabalhador e entrega da Comenda Wilson Fadul. Para não deixar esta data tão importante passar em branco, o deputado estadual Felipe Orro (proponente da sessão e da honraria) organizou uma ação inédita e protocolou na Casa de Leis 320 Moções de Congratulação, endereçadas a trabalhadores dos mais variados segmentos profissionais.  

“Acho muito importante a Assembleia reconhecer e homenagear cidadãos que dedicam sua vida e se destacaram pelo mérito de seu trabalho. São heróis anônimos que levantam cedo todos os dias e cumprem com desvelo suas funções. Estamos honrando profissionais que fizeram suas vidas e a de outras pessoas em cima do trabalho duro e honesto”, afirma o deputado. 

Com a moção, o gabinete do parlamentar enviará certificados reconhecendo o protagonista do dia 1 de maio, celebrado na próxima sexta-feira. O trabalhador sul-mato-grossense será representado por estas pessoas que se destacam na vida profissional e também na geração de emprego. 

Antes da crise sanitária, a sessão solene para outorga da Comenda ocorria sempre em data próxima ao Dia do Trabalhador. Desde sua criação em 2011, a solenidade é marcada como o primeiro evento da Assembleia pensado no reconhecimento de trabalhadores, sendo instituída por requerimento de autoria do deputado Felipe Orro, assim como a criação da Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul, outorgada aos homenageados. 

Os indicados podem ser profissionais de destaque em qualquer área, empregados dos setores público ou privado, trabalhadores autônomos, lideranças sindicais ou empreendedores cujas ações concorram para melhorar e dignificar as condições de trabalho de seus empregados. 

Em edições anteriores, nomes conhecidos como Ueze Elias Zahran, Nelson Trad (ambos in memorian), figuraram ao lado de heróis anônimos, entretanto, proeminentes em suas áreas de atuação. 

Este ano, receberão as moções e certificados militares, representante comercial, empresários, educadores, profissionais da saúde e da segurança, dentista, cabeleireira, psicóloga, serralheiro, religiosos, motorista, agente comunitário, contadora, garçom, diarista, empregados dos setores público ou privado, lideranças sindicais, caminhoneiro, mototaxista, pintor, dona de casa, advogada, comerciante, fisioterapeuta, corretor de imóveis, servente de pedreiro, boiadeiro, recepcionista, segurança, engenheiro, eletricista, escultor, cozinheira, auxiliar de limpeza, mecânicos, enfim, personagens cujos exemplos de vida contribuíram para melhorar e dignificar suas profissões e as condições de trabalho de outras pessoas.  

Wilson Fadul 

Wilson Fadul nasceu em 4 de fevereiro de 1920, em Valença, no Rio de Janeiro, mas militou na política no então Mato Grosso uno a partir de 1946, após se formar em Medicina e ingressar na Aeronáutica, sendo transferido como segundo-tenente para servir na Base Aérea de Campo Grande. Fiel ao trabalhismo de Getúlio Vargas, teve os direitos políticos cassados pela ditadura militar e passou a residir no Rio de Janeiro a partir de 1964. Com a reabertura política, em 1979, ajudou Leonel Brizola a fundar o PDT e retornou a Mato Grosso do Sul, onde organizou o partido e foi o primeiro candidato a governador. Wilson Fadul foi ex-ministro da Saúde do governo João Goulart, entre agosto de 1963 e março de 1964. Faleceu em 2011 no Rio de Janeiro, aos 91 anos de idade.

Comentários do Facebook