Felipe Orro integra o Diretório Nacional do PDT

Publicado em: 24/03/2011 - 13:13

O deputado estadual
Felipe Orro (PDT) passa a integrar o Diretório Nacional, a instância
deliberativa máxima do partido. A convenção do PDT será nesta
sexta-feira (25), na sede nacional do partido, em Brasília. Felipe
Orro viaja pela manhã e retorna no fim da tarde; ele estará
acompanhado do presidente regional do PDT, ex-deputado federal
Dagoberto Nogueira, e do vereador por Campo Grande Paulo Pedra.

“Fui convidado pelo
presidente do partido, o ministro Carlos Lupi, e muito me honra
integrar o diretório nacional neste momento que considero muito
importante para o PDT e para o Brasil. Estamos integrados no projeto
do governo Dilma, o partido cresce e se fortalece no movimento
sindical, no setor rural, junto ao magistério, aqueles segmentos que
sempre formaram nossa base eleitoral, e se expande para outros
estratos da sociedade. Isso é bom para o PDT e bom para o governo
Dilma”, frisou Felipe Orro.

Além de renovar a
direção nacional, o PDT vai adotar diretrizes para uniformizar o
discurso. “Por exemplo, vamos aprovar duas resoluções que
considero importantes: a recomendação para que o partido tenha
candidatos próprios a prefeito nas cidades com mais de 200 mil
habitantes e que as coligações, nestas cidades, tenham a chancela
da executiva nacional.”

Felipe Orro explica que
a primeira diretriz fortalece o partido. “O eleitor precisa ter
opção de votos, temos que divulgar nossas bandeiras. Essa é a
essência da democracia, a pluralidade”. Já a segunda diretriz
garante a unidade partidária, sem engessamento. “Não acho
saudável liberar o partido para se coligar com quem quiser, mas
também não é bom o engessamento, a obrigatoriedade de se unir
apenas a esta ou àquela sigla. Os dois casos prejudicam a estrutura
partidária. Então o mais correto é deixar que a executiva
nacional, ouvindo os argumentos das bases, tome a decisão mais
apropriada.”

A convenção nacional
do PDT deve aprovar, ainda, a resolução que submete as coligações
em cidades com mais de 50 mil habitantes à executiva estadual do
partido. Em Mato Grosso do Sul, com as novas regras, o destino do
partido em Campo Grande vai depender da direção nacional, enquanto
em de Dourados, Corumbá e Três Lagoas, a decisão caberá à
direção estadual.

Comentários do Facebook