Felipe Orro e Mandetta defendem medidas urgentes para ajudar desabrigados de Aquidauana

Publicado em: 13/03/2011 - 10:10

O
deputado estadual Felipe Orro (PDT) e o deputado federal Luiz Henrique
Mandetta (DEM) defenderam medidas emergenciais para ajudar as famílias
desabrigadas pela cheia do rio Aquidauana, e que estão morando em
abrigos improvisados ou nas casas de parentes. Felipe Orro e Mandetta
percorreram a região mais afetada pela enchente, visitaram algumas
famílias e constataram os estragos e as dificuldades das pessoas.


“O
governo federal disponibilizou R$ 5 milhões para Mato Grosso do Sul,
como verba emergencial. Desse total, cerca de R$ 500 mil a R$ 600 mil
devem vir para Aquidauana. E esse dinheiro é para as medidas urgentes,
comprar colchão, desinfetante, alimento, lavar a cidade. Não é para
construir ponte, recuperar as ruas”, pontuou Felipe Orro, em entrevista
aos radialistas Cícero de Souza e Nilson Antônio, da rádio FM Pantanal,
de Aquidauana, na manhã deste domingo (13).


“Dei uma caminhada em
visita à população ribeirinha e vi muita burocracia, muita dificuldade
para essa ajuda chegar lá, nem material de limpeza eu vi lá. (…) temos
que dividir as ações entre curtíssimo, curto e médio prazo. Há uma
preocupação muito grande, a tubulação de esgoto está comprometida em
algumas partes, se isso se associar à rede de água, teremos diarreia,
hepatite e pode ocorrer a leptospirose. Então isso são medidas
emergenciais”, reforçou Mandetta.


Felipe Orro lembrou que durante
os oito anos em que foi prefeito ocorreram várias enchentes, sempre
deixando um rastro trágico de destruição. “E nunca recebi um real sequer
de ajuda do governo federal ou do Estado.” Por isso, ele elogiou a
atitude da presidente Dilma Rousseff (PT), de mandar o ministro da
Integração Nacional, Fernando Bezerra, sobrevoar as áreas afetadas e
garantir recursos para ajudar as prefeituras a enfrentar o problema.


Mandetta
lembrou que o governo do Estado também precisa se fazer presente,
garantindo a recuperação da malha viária, das pontes, de preferência
substituindo as pontes de madeira por de concreto, mais altas do que as
atuais. “As estradas já estavam em situação precária, agora estão
intransitáveis. Os alunos da zona rural estão sem aula há dias. O acesso
ao frigorífico Buriti, há quase um ano a ponte caiu e não foi refeita”,
lembrou Felipe Orro.


Dragagem

Mandetta uniu-se a Felipe
Orro na defesa da dragagem do rio Aquidauana, pelo menos no trecho em
que passa por Aquidauana e Anastácio. Felipe Orro lembrou que as cheias
sempre ocorreram no Aquidauana, mas antes eram com intervalos de 10, 20
anos. “Agora ocorre quase todos os anos. Em 2010 tivemos cheia, não com a
intensidade deste ano, mas deixou muitos prejuízos. Neste ano
novamente. Então está claro que é preciso intervir no rio, que está
assoreado, devolver a profundidade natural do leito, recompor a
vegetação das encostas para evitar o assoreamento”, frisou Felipe Orro.

Comentários do Facebook