Felipe Orro acompanha em Brasília definição do reajuste da energia

Publicado em: 04/04/2011 - 15:15

O
deputado estadual Felipe Orro (PDT) integra a comissão parlamentar
enviada a Brasília com a missão de acompanhar junto à Aneel
(Agência Nacional de Energia Elétrica) o processo relativo ao
reajuste na tarifa de energia para Mato Grosso do Sul. A comissão é
integrada ainda pelos deputados Marcos Trad (PMDB), Paulo Corrêa
(PR), George Takimoto (PSL), Dione Hashioka (PSDB) e Mara Caseiro
(PtdoB).

Felipe
Orro embarcou no início da tarde com destino a Brasília; a reunião
na Aneel será nesta terça-feira (5), a partir das 9 horas. A
Enersul, concessionária de energia elétrica de Mato Grosso do Sul,
pede reajuste de 17,5%, percentual considerado muito alto pelo
deputado Felipe Orro. “Temos que considerar que a inflação foi de
6%, o salário mínimo aumentou menos de 7%. Então é preciso
encontrar uma equação para não descapitalizar ainda mais a família
sul-mato-grossense”, ponderou o deputado.

Embora
a Enersul tenha pedido reajuste de 17,5%, cabe à Aneel definir a
alíquota após analisar os dados fornecidos pela concessionária. No
processo de revisão tarifária de 2003, a Enersul cometeu um “erro”
que majorou em 6% – em média – a tarifa de energia, prejudicando
todos os consumidores. O “erro” foi descoberto e a Aneel
determinou a devolução dos valores cobrados a mais, porém isso
aconteceu na forma de desconto nos reajustes que a concessionária
teria direito nos anos seguintes, medida controversa que ainda causa
polêmica.

Findo
o período de descontos, a Enersul reapresenta planilha pleiteando
reajuste bem além dos índices de inflação apurada no período.
Entre as dez concessionárias de energia que terão direito a
reajuste em abril, o índice da Enersul é disparado o mais alto. A
CPFL de São Paulo, por exemplo, pleiteia reajuste de 6,71%. A Cemig
de Minas Gerais, 8,8%.

Comentários do Facebook