Deputados pedem que BB prorrogue dívidas rurais de mais 3 municípios

Publicado em: 19/04/2011 - 16:16

Além dos 21 municípios que decretaram estado de emergência devido às fortes chuvas de março, e que estão contemplados com medidas especiais de financiamento agrícola, os deputados estaduais pediram ao superintendente do Banco do Brasil em Mato Grosso do Sul, Luís Alves Pordeus Júnior, que inclua mais três: Pedro Gomes, Porto Murtinho e Miranda. Pordeus Júnior disse que levaria o pleito à direção do banco, mas acredita que o pedido será prontamente atendido, tendo em vista a procedência e necessidade dos produtores afetados.

A reunião para tratar deste assunto aconteceu na sala da Presidência da Assembleia, na tarde desta terça-feira (19), e foi convocada a pedido do deputado estadual Felipe Orro (PDT). “Foi uma primeira reunião que considero muito positiva. O banco nos colocou a par das linhas de financiamento, das medidas já adotadas, prontificou-se a estudar outras medidas que forem necessárias, e vamos agora fazer um estudo mais aprofundado para avaliar a real situação do Pantanal. A cheia ainda não chegou ao seu pico, tem muita água descendo o rio, de forma que    devemos fazer agora reuniões regionais para ter um contato mais próximo com o produtor”, disse.

Estavam presentes na reunião o presidente da Casa, Jerson Domingos (PMDB), os deputados Zé Teixeira (DEM), Márcio Fernandes (PTdoB), Márcio Monteiro (PSDB), Dione Hashioka (PSDB) e George Takimoto (PSL). Pelo Banco do Brasil, além de Pordeus Júnior, participou da reunião o gerente de Agronegócios da Superintendência, Edson Senhorini. A Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS) estava representada pelo diretor-secretário Dácio Queiroz, a assessora jurídica Marilda Rodrigues, o presidente da Comissão de Pecuária de Corte José Lemos Monteiro. Participaram ainda o presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Raphael Kassar e o representante do Sindicato Rural de Aquidauana, Gastão Lemos Monteiro.

Prorrogação

Os produtores com propriedades situadas nos municípios afetados pelas chuvas ou enchentes – e que tiveram situação de emergência decretada – já estão automaticamente contemplados pela prorrogação de 180 dias das parcelas vencidas ou a vencer de seus financiamentos agrícolas junto ao Banco do Brasil. Agora, os deputados pediram que os produtores de Pedro Gomes, Miranda e Porto Murtinho recebam o mesmo tratamento.

“Como este foi um ano atípico, acredito que o pico da enchente vá ocorrer para fim de maio. Então teremos problemas até agosto, setembro. Muitos produtores têm dependência exclusiva da propriedade rural. E o ciclo da pecuária é mais longo que da agricultura, demora três, quatro anos. Não é culpa do banco essa chuva toda, mas o Banco do Brasil tem sido parceiro, acredito que vamos encontrar uma solução para facilitar a vida desses produtores”, disse o presidente da Assembleia, Jerson Domingos.

A Embrapa Pantanal estima que as perdas da pecuária no Pantanal giram em torno de R$ 200 milhões. Alguns produtores perderam até metade do rebanho, sobretudo bezerros e vacas prenhas. 

Comentários do Facebook