Comenda Wilson Fadul completa 9 anos dignificando trabalhadores de MS

Publicado em: 23/04/2019 - 9:09

Por proposição do
deputado estadual Felipe Orro, a Assembleia Legislativa realiza no próximo dia
2 de maio a sessão solene para outorga da Comenda do Mérito do Trabalho
Ministro Wilson Fadul, às 19h30, no plenário Deputado Júlio Maia. A solenidade
completa nove anos e marcou história no Legislativo, sendo o primeiro evento
pensado no reconhecimento do trabalhador sul-mato-grossense, das pessoas que se
destacam na vida profissional e também na geração de emprego

“Na época julguei necessário
e ainda tenho a mesma concepção de que é muito importante o reconhecimento do
trabalhador pela Assembleia. Estamos honrando cidadãos que fizeram suas vidas e
a de outras pessoas em cima do trabalho duro e honesto. Homens e mulheres que
se destacaram, exatamente, pelo mérito de seus esforços”, explica Felipe.

A sessão solene para
outorga da Comenda ocorre sempre em data próxima ao 1º de maio, quando é
comemorado o Dia Internacional do Trabalhador. Em anos anteriores, nomes
conhecidos como Ueze Elias Zahran, Nelson Trad (ambos in memorian), figuraram
ao lado de heróis anônimos, porém destaques em suas áreas de atuação: pescador,
garçom, engenheiro, médico, empregado dos setores público ou privado, liderança
sindical, empreendedor, pessoas cujos exemplos de vida contribuíram para
melhorar e dignificar suas profissões e as condições de trabalho de outras
pessoas.

Wilson
Fadul

Wilson Fadul foi
escolhido para dar nome à Comenda por sua forte atuação política no então Mato
Grosso uno. Quando ministro da Saúde no governo de João Goulart, Fadul iniciou a
produção nacional de medicamentos, acabando com a dependência do Brasil com laboratórios
estrangeiros.

“Homem honrado, leal a
seus princípios, é uma biografia que justifica e dignifica a Comenda do Mérito
do Trabalho”, justificou Felipe Orro na época da criação da honraria.

Wilson Fadul militou na
política no então Mato Grosso uno em 1946. Após se formar em Medicina, entrou
na Aeronáutica, sendo transferido como segundo-tenente para servir na Base
Aérea de Campo Grande. Teve os direitos políticos cassados pela ditadura
militar e passou a residir no Rio de Janeiro em 1964. Com a reabertura
política, em 1979, ajudou Leonel Brizola a fundar o PDT e retornou a Mato
Grosso do Sul, onde organizou o partido e foi o primeiro candidato a
governador. Morreu aos 91 anos de idade no Rio de Janeiro.

Homenageados

Já receberam a Comenda
Wilson Fadul o ex-ministro do Trabalho e Emprego Manoel Dias, o ex-deputado
federal e antigo líder trabalhista de Mato Grosso do Sul, Nelson Trad (in
memoriam); o empresário Ueze Elias Zahram; o empresário Mafucci Kadri; Nery
Azambuja; ex-senador da República Ruben Figueiró; entre outros.

Comentários do Facebook