Cheia do Aquidauana coloca centenas de famílias em situação de risco, alerta Felipe Orro

Publicado em: 03/03/2011 - 10:10

Pelo
menos duas centenas de famílias que vivem próximas às margens ou em
regiões baixas das cidades de Aquidauana, Anastácio e Miranda, cidades
regadas pelos rios Aquidauana e Miranda, vivem a iminência de serem
obrigadas a deixar suas casas devido ao alagamento. O leito do rio
Aquidauana cresce a cada dia, subiu meio metro desde a noite de ontem
(2) até hoje (3) pela manhã, e pelo menos 16 famílias já foram estão
alojadas no ginásio poliesportivo de Aquidauana.

O alerta foi
feito pelo deputado estadual Felipe Orro (PDT), em pronunciamento da
tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta quinta-feira. “É uma
situação séria, é um problema grave, famílias já vivem a realidade da
cheia, foram desalojadas, e me preocupa porque estamos iniciando o
período de Carnaval, o país todo para, os órgãos públicos fecham as
portas, fica mais difícil mobilizar o socorro.”

O rio Aquidauana
passou de 8,02 metros de profundidade, na medição feita no fim da tarde
de ontem, para 8,52 metros na primeira medição desta terça-feira,
segundo informações do Corpo de Bombeiros de Aquidauana. E as chuvas
continuam em todo o Estado, sinalizando que a cheia pode aumentar.

Felipe
Orro lembrou que o problema é recorrente – todos os anos, nessa época,
as cidades de Anastácio e Aquidauana sofrem com as cheias do rio
Aquidauana. E também Miranda, invadida pelas águas do rio Miranda.
Porém, nos últimos anos, a situação tem piorado devido ao assoreamento
do rio.

“A solução definitiva é a dragagem para devolver ao
leito do rio sua profundidade natural, e um trabalho de recuperação das
encostas de forma a evitar o assoreamento”, frisou Felipe Orro,
justificando a indicação que apresentou, endereçada ao governo do Estado
com cópias à bancada federal de Mato Grosso do Sul. “Estamos na
iminência de acontecer problemas graves com os moradores ribeirinhos”,
alertou o parlamentar.

As cheias não trazem apenas o perigo do
afogamento e os danos materiais, lembrou Felipe Orro. Doenças
transmitidas por microorganismos, como a leptospirose, viram epidemia em
regiões alagadas. O deputado aproveitou para fazer um apelo à
população, que ajude doando alimentos, roupas e medicamentos, pois o
poder público pode não conseguir socorrer a todos de forma condigna.

Em
aparte, o deputado estadual Lauro Davi (PSB) solidarizou-se com a
preocupação de Felipe Orro e sugeriu que a Assembleia faça um amplo
debate visando solucionar definitivamente o problema das cheias do
Aquidauana. “Essa casa não pode se omitir diante de seu pedido para um
tratamento que melhore o rio Aquidauana. Entendo que essa solução tenha
que ser antecedida por um amplo debate.”

Comentários do Facebook