Assembleia aprova a Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul

Publicado em: 14/04/2011 - 14:14

A Assembleia Legislativa aprovou na sessão desta quinta-feira (14), por unanimidade, o projeto de resolução do deputado estadual Felipe Orro (PDT) que institui a Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul. A matéria teve parecer favorável do relator deputado Júnior Mochi (PMDB) na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final), onde também foi aprovada pela totalidade dos membros.

A Comenda Ministro Wilson Fadul se destina a homenagear profissionais das diferentes áreas, trabalhadores da iniciativa privada e pública, autônomos, líderes sindicais ou mesmo empreendedores com ações comprovadas em benefício da melhoria das condições de trabalho de suas empresas. A outorga será durante sessão solene que a Assembleia realizará no dia 2 de maio, a partir das 19h30, no Plenário Júlio Maia.

É a primeira vez que a Assembleia realiza sessão solene para comemorar o Dia do Trabalho, data instituída em 20 de junho de 1889, em Paris (França), onde acontecia a Segunda Internacional Socialista, congresso global de partidos e organizações de esquerda.  O PDT é o único partido brasileiro filiado à Internacional Socialista.

A escolha do 1º de maio para homenagear o trabalho se deve a um fato acontecido neste dia, no ano de 1886, na cidade de Chicago (Estados Unidos). Milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de treze para oito horas diárias. Simultaneamente, os Estados Unidos paravam por conta de uma grande greve geral dos trabalhadores.

No Brasil, o 1º de maio tem histórico de sintonia direta com os trabalhadores. Foi neste dia do ano de 1.940 que o presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo. No ano seguinte, também no 1º de maio, Getúlio criou a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e aos direitos dos trabalhadores.

Wilson Fadul

A escolha de Wilson Fadul para nominar a Comenda do Mérito do Trabalho não se dá por acaso. O deputado Felipe Orro explica que Fadul foi o maior trabalhista que já militou em Mato Grosso do Sul. Começou sua carreira política em 1950, elegendo-se vereador em Campo Grande pelo PTB. Foi prefeito da cidade em 1953, em outubro do ano seguinte foi eleito deputado federal por Mato Grosso.

A estrela de Wilson Fadul brilhou com toda intensidade durante o governo Jango ao assumir, em 1963, o Ministério da Saúde. O golpe militar de 1964 tirou o mandato de Fadul, que passou, então, a articular a redemocratização do país através da Frente Ampla. Era o interlocutor de Jango, o presidente deposto.

O Ato Institucional nº 5 (A-I 5) de 1967 colocou a Frente Ampla na clandestinidade e forçou Wilson Fadul ao exílio, na França, onde aproveitou para estudar Filosofia. Com a anistia de 1979 retornou ao Brasil e ajudou Leonel Brizola a fundar o PDT. Foi o primeiro candidato a governador do PDT em Mato Grosso do Sul, em 1982. Aos 91 anos de idade, vive no Rio de Janeiro com a família. 

Comentários do Facebook